Tai Chi Chuan

Prática Tradicional

Outras Práticas

Como Participar

Horários

Cursos

Tai Chi em Goiânia

Outras Práticas

1. Tai chi chuan de 13 movimentos

Tai chi chuan, jóia única da milenar cultura chinesa, arte marcial utilizada atualmente como prática psicocorporal com objetivo de recuperar e promover a saúde. No início da sua história, séculos atrás, era conhecido como “A arte marcial das treze posturas”. Ao longo dos séculos, vários estilos se desenvolveram a partir desse princípio. Existem, hoje, sequências de dezenas e até centenas de movimentos.

No início do século XXI, a fim de tornar a arte acessível às pessoas que vivem de acordo com o ritmo de vida moderna e, ao mesmo tempo, resgatar um fundamento histórico do tai chi chuan, o mestre Chan Te-Sheng, de Taiwan, desenvolveu a forma de Tai Chi Chuan de 13 movimentos, que é difundida no Brasil pelo mestre Moo-Shong Woo.


A seqüência de treze movimentos é muito fácil de ser aprendida. Os movimentos são simétricos e se repetem na direção dos quatro pontos cardeais e dos quatro pontos colaterais, conforme a ilustração. Essa disposição remete à teoria dos Cinco Elementos e dos Oito Trigramas da filosofia chinesa.

Como se pode ver, esses treze movimentos podem ser decompostos em duas partes. A primeira consta basicamente de movimentos nas quatro direções dos pontos cardeais. Essa primeira parte às vezes é praticada separadamente, recebendo o nome de Tai chi de quatro movimentos, ou Tai chi de quatro.

A segunda parte, que se orienta segundo os quatro pontos colaterais, consta de golpe, torcer o braço do adversário, cotovelada e uma preparação para recuo, momento de defesa desses "golpes".


Essa segunda parte é também praticada a dois: tui sho. Ela se decomõe, por sua vez, em duas partes. Na primeira, Um praticante "ataca" e o outro "defende", na ida; na segunda, invertem-se "ataque" e "defesa". Em seguida, repete-se tudo, começando a "atacar" quem havia começado "defendendo".

Provavelmente, Brasília seja o único lugar do Brasil em que se pratica essa modalidade de tai chi, começando pela Praça da Harmonia Universal. O tai chi de 13 movimentos é muito simples, pois consta basicamente de movimentos para esquerda e para a direita, sendo que um movimento é em 90 graus, o seguinte em 180, e vice-versa. O chamado "tai chi de quatro movimentos" (primeira parte dos 13 movimentos) é talvez o mais fácil de ser aprendido.

Talvez valesse a pena repetir que essa prática promove vigor interior, tonificação dos músculos, aumento da flexibilidade e da força, melhora da função respiratória; reduz o estresse, fortalece a energia vital, aumenta a consciência corporal e melhora a coordenação motora; promove melhor qualidade de vida. 

2. Espada
Normalmente, para se praticar taichi chuan basta nosso corpo/mente e um lugar calmo, embora ele possa ser praticado até mesmo no quarto de um hotel. No entanto, há também práticas tidas como mais "sofisticadas", uma vez que exigem instrumentos. Uma delas é a espada. Talvez devido a esse pré-requisito, ela não seja tão popular quanto outras práticas. Na Praça da Harmonia Universal, umas 5 pessoas se dedicam a ela.

3. Pa kua chang
Uma outra prática muito interessante é o pa kua chang. Ele começou a ser treinado de modo mais sistemático em data relativamente recente, sob a direção de Aristein Woo. No entanto, está ganhando adeptos a cada dia que passa. Há inclusive pessoas que não participam de outras práticas, mas só ao pa kua. A série que se pratica é a desenvolvida pelo mestre Liu Jing Ru, na década de noventa.

4. Leque
A modalidade leque ainda tem sido pouco praticada na PHU. Porém, algumas pessoas que vão à Praça só esporadicamente são adeptos dela.

5. Bastão
O mesmo se pode dizer do bastão. Quem o pratica mais é o mestre Dada, na Academia Magka Issa.

6. Sabre.
Só é praticado nas festividades, pelo menos por enquanto.

7. Tai chi infantil
Não se pode esquecer que, aos sábados, após as 8h30min, ou seja, após o café comunitário do segundo horário, temos o tai chi infantil, dirigido por Ana Maria Mesquita e Ana Lúcia da Silva Resende.

8. Chi kung

Na verdade, o chi kung (qi qong) não é "outra" prática. Uma vez que "chi" significa "energia vital" e "kung" significa "trabalho", chi kung é literalmente um trabalhar da energia vital, ou seja, da respiração. Todo exercício que se faz com atenção nela é um tipo de chi kung, donde se conclui que praticamente tudo que fazemos no tai chi é também chi kung. Mas, às vezes se pode praticar conscientemente essa arte com esse nome, e hoje existem inúmeros livros ensinando técnicas de respiração. Na bibliografia que consta na seção O que é tai chi chuan, vemos um desses livros. Uma série de exercícios de chi kung relativamente bem conhecida é o tai chi chi kung, conhecida por pelo menos alguns frequentadores da PHU.

9. Outros
Esporadicamente, há demonstrações de outras atividades de cunho taoista, como tui na, feng shui etc. Isso se dá sobretudo em atividades festivas, quando temos convidados.